terça-feira, 25 de agosto de 2009

Agradecimento

Uma vez que este e o ultimo post que escrevo na India, ainda com muito por dizer (mas isso fica para os varios reencontros que irei ter com as diversas pessoas), quero dizer que foi uma experiencia incrivel, que adorei e que ira ficar eternamente na minha memoria.

Com isto, ha imensas pessoas a quem tenho de agradecer. Por isso, aqui fica o meu agradecimento publico:


- aos meus pais, primeiro de tudo, pela oportunidade que me proporcionaram. Sem eles, nunca poderia ter vindo aqui... Sinto-me uma pessoa super feliz e devo-lhes tudo o que tenho na minha vida. Ao pai, atento comentador, sem deixar nenhum post sem a sua marca :). A minha mae, que sei que nao dormiu quando me aventurei pelas estradas perigosas ate Leh... Sao os melhores pais do mundo!

- a minha irma que sei que anda a magicar novos planos. O contacto nao foi muito mas sei que andas tambem a acompanhar. Tenho muitas saudades tuas, manita!

- ao pedro, pelo companheirismo, pela partilha de todos os momentos, pelo apoio incondicional e pela espera. "A Terra girou...."

- aos 31 seguidores do meu blogue que espero que tenham gostado de o ler

- aos seguidores anonimos que me foram acompanhando ao longo destes 5 meses

- e nao menos importante, a todas as pessoas que fui conhecendo na India, que me deram um pouco delas e aos quais retribui com um pouco de mim. Sem elas, a minha experiencia seria vazia, sem sentido, sem significado.


A todas as pessoas que partilharam a minha experiencia, que viram a India com os meus olhos e que me irao reencontrar com imensa vontade de conhecer o que conheci, aqui vai o meu...



OBRIGADA!

A viagem anda no fim. O que se planeia por aqui?

A minha viagem/estadia na India esta quase, quase a acabar. Ainda faltam uns dias, e certo, mas a ja vi a partida muito mais longe! :)

Ontem regressei de Leh depois de uma experiencia incrivel. Conheci pessoas maravilhosas, que me puseram a pensar e com quem troquei experiencias (ocidente vs. oriente). Acredito vivamente que, mais do que a experiencia e conhecer locais diferentes, as pessoas com quem vamos travando amizades sao o fundamental e sao o elemento que tornam tudo o que vimos e vivenciamos, em coisas incriveis e imemoraveis.

Conheci desde nepaleses que trabalham em restaurantes durante as suas ferias de verao, desde um ladakhi que trabalha numa agencia de viagens e que gere com amigos um restaurante, desde uma familia ladakhi formada pela mae, filha e filho que geriu a minha ultima guest-house, onde, insistentemente a mae, de 60 anos, me falava em Ladakhi e so se ria, um sorriso lindo, ainda que com falhas, mas super amoroso!

Ja mais para o final da semana, encontrei-me com o Nacho, o espanhol que trabalhou comigo. Na segunda noite, onde nos encontramos por acaso na rua e decidimos jantar, apareceu um mexicano que tambem conheci em Jaipur. No dia seguinte, apareceu a Ana, portuguesa. Portanto, foi um mini Jaipur em Leh! Tive pena de os deixar mas teve de ser!

Ontem regressei de Leh. Detino: Manali novamente.
15 horas num autocarro recheado de 5 israelitas, 5 raparigas ladakhis e eu, unica portuguesa. Cheguei a guest-house onde tinha depositado a minha mochila grande! Tenho agora um super quarto para mim mas que eu mereco depois desta viagem gigante! :)


PLANOS PARA OS PROXIMOS DIAS:
Tal como vos disse no inicio deste post, o fim aproxima-se a passos largos. Amanha vou de autocarro ate Delhi. Parto de Manali as 16h e chego a Delhi as 8h. Decidi (vamos la ver se e a decisao mais correcta) em dirigir-me para o aeroporto assim que chegar a Delhi. O meu voo e apenas as 2 da manha mas nao me encontro no espirito de entrar numa cidade gigante, cheia de pessoas, transito, com imenso barulho e mal cheirosa! Tive o melhor fim que podia ter e quero guardar isso para mim.

Sinto-me feliz por tudo o que me aconteceu!

Chego a Lisboa as 18h, se tudo correr bem :). Espero ver alguem no aeroporto... heheheh. Se nao, havemos de combinar algo para os dias seguintes (tenho tanto para contar!). Sigo nesse mesmo dia para Leiria. Ainda nao sei a que horas... Pessoal de Leiria, fim-de-semana em grande comigo na cidade!

sábado, 22 de agosto de 2009

Dalai Lama

Pois e! Como ja vos falei, Ladakh e essencialmente budista, mais precisamente budista tibetana. A vida no seu dia-a-dia, esta intimamente ligada a religiao. Uma das coisas que ouvi falar foi o facto de todas as pessoas terem respeito, tanto por pessoas e animais, a tal ponto que, se num campo agricola, enquanto o agricultor trabalha, se aparece uma aranha no caminho, ele ou retira-a com uma pa e poem-na noutro sitio ou desvia-se dela... Obviamente, nunca matando-a!

Como e obvio, as pessoas que practicam esta religiao tem como seu orientador Dalai Lama. Hoje comecou uma ronda de 4 dias de ensinamentos publicos sobre o budismo. Toda a cidade de Leh para para o ouvir. No entanto, ele profere as suas palavras noutra vila, uns 30 minutos de Leh.

Ontem, entre os voluntarios da Women's Alliance, combinamos ir juntos. Acordei as 5:30 da manha e encontrei-me com eles as 6:30. Alugamos um jipe, de ida e volta. Enquanto nos encaminhamos para o local, centenas de pessoas, tanto ao longo da estrada como em carros, carrinhas e jipes, prosseguiam, como se fosse mesmo uma peregrinacao. Idosos, homens, mulheres, criancas, monges, .... Todos eles se encaminhavam para o recinto.

Mal chegando la, fomos encaminhados para o local dos turistas, uma vez que DL iria falar tibetano. Azar dos azares, nao ficamos muito perto da coluna de onde vinha a traducao em ingles. Passado algum tempo, la mudamos de sitio mas a percepcao da traducao nao era perfeita. Durante mais de 3 horas, toda a gente, sentada no chao, sobre um sol abrasador e rodeada de uma paisagem fantastica (montanhas) desfrutava dos ensinamentos... E incrivel como as pessoas reagem e se unem quando se trata de religiao! E certamente uma a que vou estar atenta, por todo o sentido que faz.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Mais surpresas por aqui

No inicio desta semana, uma das voluntarias me convidou para jantar com ela, com os outros voluntarios e com Helene, a impulsionadora na ONG onde me voluntariei. Aceitei...

Ontem, a Deb (americana) la me deu as instrucoes como ir para a guest house onde seria o jantar. No meio de ruelas de alcatrao rodeadas de campos agriculas definidos por pedras, la consegui achar o lugar. Fui perguntando pelas pessoas que iam passando por mim e todas elas, gentilmente, me foram dando indicacoes... Fiquei extremamente agradada, uma vez que fico sempre de pe atras quando pergunto... Coisas do mundo moderno!

La achei a guest house e ia super convencida que ia jantar num espaco ao ar livre, como num restaurante, ja que algumas guest houses tem restaurante. Abri uma porta no segundo andar e toda a divisao era um misto de cozinha e sala de estar.

Juntei-me a Deb, a Liz (neo zelandeza ?), ao Jamie (Ingles), a Vanessa (americana) e a Helene. Estivemos todos a cozinhar. Toda ela era uma divisao amiga do ambiente. La ajudei na preparacao do jantar. Entre o come e nao come, a Helena agradece-me pela ajuda que lhe estava a prestar ao anotar os comentarios ao filme, ao que respondi que nao estava a fazer nada de especial. Acrescentar depois que estava bastante interessada no filme ("Economics Of Happiness") uma vez que tinha estudado economia (ja a Deb, na altura do convite disse-me que a Helena tinha bastante interesse em saber a minha opinao sobre o filme por esta mesma razao).

Durante o jantar, entre o brocolo e o arroz, la me pergunta o que achei do filme. Eu, meio atrapalhada, disse-lhe que sou uma pessoa que gosta de ter acesso as duas partes, gosto de reunir informacao sobre o tema, independentemente dos argumentos que se usam, para depois formar a minha propria opiniao. No entanto, confessei que ainda nao tinha uma opinao formada, por isso nao lhe conseguia apresentar a minha visao. O certo e que todos os dias vejo o filme e fico para ouvir a discussao, porque e algo que me interessa (hoje faz 6 vezes que vejo o filme!).

Depois do jantar, estivemos a ver um documentario que ligava teoria de jogos e psicologia, sendo que o primeiro tema esta intimamente ligado a economia. Esta vertente, sendo um dos seus fundadores John Nash (o filme "Uma mente brilhante" fala sobre a sua vida), assenta no principio basico que as pessoas vao actuar com base nos seus proprios interesses, levando ao individualismo. Basicamente e isso mas sao totalmente livres de pesquisar na net... No final, estavam todos meio inconformados com toda esta informacao, a qual tive que esclarecer algumas coisas, mas acho que nao ficaram convencidos.

Entretanto, hoje fui ate a uma agencia de viagens, cujo dono ja e meu amigo, para saber informacoes de como chegar ao sitio onde o Dalai Lama vai dar conferencia publicas e fiquei perto de 3 horas a falar com ele, desde sobre o trabalho dele ate a toda a transformacao que Ladakh esta a passar. A paginas tantas, ele pergunta-me se eu sinto ameacada, se me sinto em perigo. Eu digo-lhe que, assim que tenho de chegar a Portugal tenho de arranjar emprego mas sei que, se nao achar no proximo mes, consigo arranjar nos 2 proximos meses. Com o desenrolar da conversa, nao era essa a resposta que ele queria ouvir nem a resposta que eu queria dar. Era muito mais no sentido da nao sustentabilidade que o homem esta a impor a natureza.... Ele contou-me que ja nao ha tanta neve como antigamente, que os fluxos de agua estao contaminados... Confessou-me que, quando fala com os amigos sobre isto, amigos daqui, que eles dizem-lhe que e um pessimista, dai termos falado sobre este assunto.



Aqui ficam as perguntas: Estaremos ameacados? Sentimos esta ameaca? Sentimos que a nossa vida esta em perigo? Esperam-se reaccoes! :)

domingo, 16 de agosto de 2009

Ladakh, cultura local e afins

Apos o WeinJian se ter ido embora, comeco a explorar Leh por mim propria. Inicio caminhadas aleatorias, sem pressa, conheco locais, aprendo um pouco mais desta cultura e do budismo (Ladakh e maioritariamente budista).

Aprendi muito com o WeinJian, sobre a cultura asiatica, principalmente focada em Singapura, que tem um enorme influencia chinesa. Alguns factos que fui conhecendo sobre Singapura e que merecem destaque:
- Todas as pessoas sabem 2 linguas: chines e ingles
- Em sinal de respeito, tanto por monges como pelas forcas da autoridade, inclinam a cabeca para a frente
- O servico militar e obrigatorio por 2 anos
- E normal alguem comecar a trabalhar e receber 2000 euros
- Cada familia tem apenas um carro
- Nao ha campo em Singapura porque 1) e uma ilha, 2) tudo esta urbanizado
- Um so partido, que e o mesmo sempre. ganha as eleicoes, apesar de existirem outros
- E um pais tropical, com clima tropical, marisco e frutos que nao se veem em mais lado nenhum
- E um dos paises mais avancados do mundo e onde se ganha mais

Como era nosso plano, mas nao tivemo tempo, fui visitar uma organizacao chamada "Women's Alliance" que trabalha a par com outra organizacao, essa sim internacional chamada ISEC (International Society for Ecology and Culture). Ambas dedicam-se a presevacao das culturas locais. Mais informacao: www.isec.org.uk. Todos os dias passam diversos documentarios: as 11h sobre os mais diversos temas, as 13h sobre "Economics of Happiness" (como ja vos tinha falado) e as 15h "Ancient Futures: Learning from Ladakh". Como tambem ja referi, voluntariei-me. Nos ultimos dois dias, anotei os comentarios que foram fazendo durante a discussao que precedeu o filme "Economics of Happiness" e fui construindo o meu proprio comentario ao filme, dado ter estudado economia.

O filme fala, basicamente sobre a insustentabilidade em que vivemos: produzimos cada vez mais, consumimos cada vez mais, ha maior competicao entre as pessoas... A pergunta base e "Sera que isso contribui para a nossa felicidade?", para a qual a organizacao sugere a localizacao da economia: apostar na agricultura biologica, nos agricultores locais, nas energias renovaveis... E um assunto um tanto ao quanto polemico pois podemos encontrar pessoas que defendem uma das frentes, dai que nao seja totalmente consensual.

Basicamente o meu voluntariado nao e nada de especial. Queriam alguem com jeito para o grafismo e design para um novo cartaz a ser espalhado pelas ruas de Leh, mas logo lhes disse que nao era a pessoas mais indicada para o fazer.

A organizacao "Women's Alliance" e algo que me fascina. Foi fundada por uma senhora chamada Helena Norberg-Hodge que veio pela primeira vez a regiao de Ladakh nos anos 70. Conseguiu presenciar, com os seus proprios olhos, como uma comunidade consegue sobreviver apenas dependendo dela, onde toda a gente ajudava toda a gente, onde todos os familiares viviam na mesma casa, onde toda a gente sabia fazer tudo. Nao havia pobres, competicao ou ate mesmo dinheiro, porque as trocas eram efectuadas em generos. Ate a altura em que a regiao se abriu ao exterior, sendo invadida por camioes trazendo os mais diversos produtos, por filmes onde o homem tinha de ser guerreiro e a mulher submissa, pela destruicao da cultura local. Com os turistas, os locais comecaram a sentir-se inferiorizados e com muito menos meios (por exemplo um turista e capaz de gastar num dia o que uma familia em Ladkh gasta num ano). Mais, as criancas sao penalizadas por falar Ladakhi, que e a lingua local e beneficiadas por falar ingles. A paginas tantas, a organizacao promoveu a ida de meia duzia de mulheres desta regiao ate ao mundo desenvolvido para verem com os seus proprios olhos que o nosso mundo nao e um mundo cor-de-rosa, onde ninguem trabalha e toda a gente ganha imenso, mas sim um mundo onde ha inflacao, desemprego, pedintes, lixeiras, poluicao, barulho, solidao, ...

Ladakh e uma regiao magica, envolta pelos Himalaias, onde as pessoas pautam as suas accoes pelo budismo tibetano. Podemos encontrar natureza tao pura, ainda que com vestigios do ocidente.Ha canais de agua ao longo da estrada, o som da agua esta presente em todo o lado, os animais pastam nos campos verdes, o azul do ceu e mesmo azul, um azul vivo pintalgado de branco.

Ainda em Dharamshala, antes de subir mais a norte, comprei o livro "A Journey in Ladakh" escrito por Andrew Harvey. Eu estou a ler a versao inglesa mas, se por acaso encontrarem a versao portuguesa, nao hesitem a compra-la. Poderai ler o que eu vejo com os meus olhos. E um belissimo livro que certamente irao gostar.

Outros aspectos que ainda nao mencionei: Ladakh apenas funciona 4 meses ao ano (meados de Junho ate meados de Setembro). Durante os 8 meses, Ladakh fica inundado de neve e frio, o que faz com que os precos praticados durante esses 4 meses consigam suportar a vida durante o restante ano. Muitas vezes, durante esse 8 meses, muitas pessoas rumam ao sul, dai ser comum ouvir pessoas que sabem que Goa, em tempos, pertenceu a Portugal (ja Diu e mais raro). Um exemplo muito concreto: uma hora de internet em Delhi custa 30 rupias enquanto aqui custa 90 rupias (para alem do factor "4 meses", a ligacao nao e muito boa em Leh e e comum haver cortes de energia inesperados).

Entretanto, com a dia do WeinJian, tivede procurar um quarto individual. Pago 150 rupias/noite com WC partilhado e que fica numa casa de uma familia Ladakhi, portanto, toda a vez que os vejos, digo "Juley" que e obrigado/ola/adeus.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Casal de australianos

No autocarro de Manali para Leh conhecemos um casal de autralianos. Pela conversa inicial, o rapaz ja esteve por toda a Asia, incluindo Tibete. Numa das paragens, eu e o WeinJian almocamos com eles e ficamos a saber que ha 4 meses atras eles iniciaram uma viagem a volta do mundo (US, Europa, Asia) e que iria acabar em Taiwan. Durante 9 meses o rapaz iria estudar e a rapariga ia procurar qualquer coisa para fazer.

Mas ha cada coisa!

No dia seguinte a termos chegado, logo no pequeno almoco encontramo-los.

No outro dia, encontramo-los numa ATM.

Ontem encontramos a rapariga num centro dedicado a preservacao da cultura de Ladakh. Falamos, falamos, falamos. So neste terceiro encontro e que soubemos os nomes deles, Paul e Serena. Mais ao fim da tarde, fomos ter com o rapaz que tinha estado a participar num curso de meditacao. Uma vez que era o ultimo jantar do WeinJian em Leh, decidimos jantar todos juntos!... Falamos sobre tudo, sobre a experiencia na India, principalmente, sobre as suas diversas vertentes.

Hoje a noite eles vao regressar a Manali e eu ainda fico por aqui mais uns dias.....

terça-feira, 11 de agosto de 2009

O que se vai passando por Leh

Bem, a estadia em Leh tem sido relaxante.. Posso ate dizer que estou numa India diferente, onde as pessoas nao parecem indianas como em Jaipur. E um misto entre o chines e o indiano, tal como no Nepal.

Estavamos acomodados no centro da cidade mas ontem decidimos mudar para um sitio mais calmo e com menos turistas.

Ontem foi dia de rafting. Ja tinha feito rafting em Rishikesh mas este foi muito mais profissional. Demoramos cerca de 2 horas ate chegar ao ponto de partida. Connosco, no barco iam um casal de israelitas, um casal de ingleses ja nos seus 60 e muitos e 3 rapazes indianos de Delhi. Primeiro, ouvimos as instrucoes. Esta primeira parte ja tinha ouvido, portanto nada de novo. Quando ele comeca a falar de instrucoes de seguranca, eu penso para com os meus botoes "Nada vai acontecer...". Ele diz "Se cairem a agua, so agarrem o fio que esta a volta do barco... Ao puxarem uma pessoa da agua para o barco, puxem-na pelo colete salva-vidas"... etc etc etc... Vamos todos para o barco e passados uns 15 minutos, estavamos no meio de um rapido, aguas que circulavam a grande velocidade... (um pequeno pormenor: para alem do colete salva-vidas e colete, tinhamos vestido um daqueles fatos que os surfistas usam para manter o corpo quente). Voltando ao rapido, estavamos no barco mas desisti de remar porque as aguas eram super selvagens. A paginas tantas, so vejo o barco a tombar na direccao oposta ao sitio onde estava sentada. Vai a Mariana, mergulha na agua. So me vejo rodeada de agua, geladissima! Comeco a pensar "Guardo o remo ou deixo-o ir?". Ja o estava a levantar para que alguem me segurasse, mas nada! Comeco a nadar em direccao ao barco enquanto o barco tambem se movimenta em direccao a mim. Seguro a corda. So sinto umas maos (nao sei de quem!) a puxarem o meu colete salva-vidas com tanta forca, forca suficiente que me trouxe de volta ao barco. Bem, uma experiencia sem duvida, radical!... Viro-me para tras e reparo que o WeinJian nao estava no barco.... Wow... Stress! "Onde e que ele esta?"... Ele tambem caiu a agua mas foi resgatado por um homem de caiaque que estava connosco e foi posto noutro barco.... Emocoes ao rubro :)

Hoje de manha participamos numa sessao de meditacao. Como respirar, exercicios de relaxamento e chakras! A tarde, fomos ate ao palacio e vistimos 2 templos budistas!

Amanha o plano e assistir a uma sessao como "Economia da Felicidade" e assitirmos a alguns filmes que vao ser exibidos...

O WeinJian vai-se embora amanha e eu devo ficar em Leh ate dia 23 de Agosto. La mais perto deste dia, devo encontrar-me com o Nacho, o rapaz espanhol que esteve a trabalhar comigo na ONG... Ate la, vamos ver... Sem planos, para variar :)

domingo, 9 de agosto de 2009

In Leh

Depois de manali, Leh foi o destino encontrado. 19 horas numa carrinha para 11 pessoas.... Muitas pessoas, se soubessem, nunca iriam aventurar-se nesta viagem! Eu e o WeinJian, uma vez que o nosso orcamento e limitado, decidimos partir a aventura.

Na carrinha conhecemos um casal australiano que estava a fazer uma viagem pelo mundo ja ha 4 meses, uma senhora inglesa de 60 anos que parece que nao para e que gosta imenso de trekking e uns quantos indianos tambem com o objectivo de fazer trekking...

Ao longo desta viagem, as montanhas eram a paisagem primordial... Montanhas essas pertencentes aos Himalaias! Acreditam nisto! HIMALAIAS! Chegamos ate os 5000m de altitude numa viagem cheia de curvas e contracuvas, sem alcatrao e po, perto de rimbaceiras... Esta estrada e uma das mais antigas do mundo e so esta aberta entre Junho e Setembro por causa do mau tempo.

Chegamos a Leh as 22h, metemo-nos num taxi ate ao centro da cidade para encontrarmos alojamento. Acabamos por ficar num alojamento sugerido pelo Stefan, o rapaz de quem vos falei (que trabalho comigo ha uns tempos atras)... Ainda estamos a pensar no que fazer enquanto aqui estivermos. Rafting parece a melhor solucao visto nao termos tempo para trekking!

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O que vem a seguir e o que se passou ate agora

Já vamos a mais de metade da semana e o tempo tem voado!
Neste momento estou em Manali depois de uma viagem de 8 horas num autocarro publico a parar em todas as terriolas com imensas pessoas a entrar e a sair! Lembrei dos chapas em Mocambique porque existe também um homem no autocarro que cobra as entradas as pessoas que entram e da sinal ao condutor para parar mas o "cobrador" indiano e muito mais sofisticado porque este tem um apito para sinalizar as paragens.

Amanha vou passar mais um dia em manali e depois partimos em direcção a Leh, numa viagem de 20 horas!

Tenho recebido imensas mensagens de pessoas que ainda ficaram em Jaipur ou que já regressaram a casa! E mesmo bom manter contacto com os amigos que vamos fazendo :)

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Proximas semanas

Bem, sai de Jaipur no passado domingo em direccao a Shimla, um pouco a norte de Delhi, nas montanhas. O plano era encontrar la um rapaz que conheci em Jaipur atraves da AIESEC, o Weinjin, de Singapura. Pequeno pormenor: antes de ele viajar para Varanasi, trocamos emails e encontramo-nos para delinear as semanas da nossa viagem. No entanto, ele nao tem telemovel, so eu e que tenho.

Parti de Jaipur as 20h de domingo e cheguei a Shimla as 12:30, portanto, umas 17 horas de viagem e ele sempre a ligar-me do telefone publico a perguntar-me onde estava... E eu sempre a dizer "Estou no autocarro, mais 10 minutos". Ficou combinado encontrarmo-nos na estacao de autocarros. So quando desliguei, um senhor disse-me que o autocarro nao parava na estacao, mas um pouco antes. OK, vai a Mariana carregada com toda a bagagem em busca do WeinJin... Ponto de encontro, mais precisamente: casa-de-banho da estacao! Andei um bocado as voltas mas la o encontrei...

Outro pormenor: de acordo com o nosso plano, eu devia ter saido de Jaipur no sabado a noite e nao no domingo! Fantastico!.... So reparei quando cheguei a casa depois do jantar, no sabado, na casa da Mrs. Garg... Solucao: partir nesse mesmo dia para Dharamshala, uma vez que, ficando um noite em Shimla, o plano ficaria todo distorcido, para alem de que em Shimla nao ha nada para fazer!

Bem, acordando no que fazer, saimos de Shimla no mesmo dia qe cheguei la, as 21:30 para chegar a Dharamshala as 6:00. Encontramos tambem dois rapazes que estao a fazer estagio em Jaipur na estacao de autocarros em Dharamshala... Totalizando, em dois dias, 27 horas de autocarro! :)

Em Dharamshala, o autocarro para antes da estacao e toda a gente sai, pegando na sua bagagem... Eu, o WeiJin e um outro rapaz paramos na estacao porque o autocarro comecou a andar mesmo antes de conseguirmos sair... Quando saimos, vou a bagageira, a procura da minha bagagem, e nada! Entrei em panico! A minha bagagem de 5 meses, numa mochila backpack nao estava la... La falamos com o homem que vende bilhetes e ele la nos disse que tinha despejado tudo quando toda a gente tinha saido, portanto, um pouco mais acima da estacao... Em stress, comecamos a subir as estadas e la estava a minha mochila! Satisfacao total!

Entretanto, arranjamos um alojamento no meio das montanhas. Temos de fazer um pouco de trekking para ir para o centro da pequena aldeia onde estamos :)... E muito giro porque so se ouve a natureza... Nada de carros, riquexos, motos!

Amanha partimos em direccao a Manali, no autocarro das 17h para chegar as 5h da manha do dia seguinte. Ficaremos uma noite e o plano e seguir para Leh...


Vamos la ver!

sábado, 1 de agosto de 2009

Despedida na minha ONG

Na passada sexta-feira, tive a minha despedida na Bal Rashmi.
De manhã finalizei os relatórios que estava a trabalhar durante este tempo todo e depois do almoço, tive este pequeno momento.
Fomos todos para uma sala onde eu nunca tinha estado, ao longo dos meus 4 meses.... Uma sala de reuniões gigante!
Toda a gente do escritório foi convidada.... Na foto aparecem (da esquerda para a direita): Joana (Portugal), Mrs. Garg, Nacho (Espanha), eu, Karina (Polónia) e Joana (Portugal). Não aparecem a Cristina Lopez, uma senhora espanhola que costuma ajudar com dinheiro algumas escolas, o Akhilesh, o Sateyndra e 5 rapazes do orfanato.
Eu já tinha presenciado a despedida do Stefan, portanto já sabia, mais ou menos, como as coisas se processavam.
No início, a Mrs. Garg pediu-me que proferisse umas palavras. Bem, nem sabia o que dizer.... O silêncio incial foi gigante, como se fosse suspense mas todas as imagens e palavras corriam na minha cabeça à velocidade da luz....
Lá comecei a falar, num discurso não lá muito organizado (para quem me conhece, sabe perfeitamente que as minhas improvisações são realmente improvisações!) e lá disse umas palavras sobre o quanto gostei de trabalhar na Bal Rashmi, agradeci a oportunidade por trabalhar lá e que admirava todo o trabalho da Mrs. Garg. Enquanto falava, a Mrs. Garg só olhava para o chão numa tentativa de controlar as lágrimas.
Depois, foi a vez dela! Uiiii!..... Só dizia coisas boas: que foi óptima a minha presença ali; que nunca parecia que eu era de outro país; que todos vão sentir a minha falta; que a partir de agora, todos os relatórios anuais que se fizerem, vão mandar uma cópia para mim; que era como se fosse uma filha; que tive nos bons e maus momentos mas só para recordar os bons e que fiz um óptimo trabalho, já que há imenso tempo não se faziam relatórios anuais e eu fui capaz de reunir dados e inforamções de dois anos.
Ela deu-me a carta de recomendação e eu dei-lhe o meu relatório sobre o meu estágio, tal como um postal. Após isto, ela deu-me um colar com uma pedra preciosa do meu aniversário. Uauuu! Ela bem que me perguntou quando é que era o meu aniversário e qual a cor que eu gostava mais no dia anterior mas nem matutei muito sobre o assunto... Quando ela me mostrou o colar, fiquei de boca aberta. Uma pedra em forma de gota, cor verde água, mas uma coisa enorme!
Depois, deu-me um colar de rosas, o que é uma tradição aqui na Índia, em despedidas e recepções. O Tony, um dos rapazes do orfanato, deu-me também um, tal como o Satyendra, o contabilista que é o trabalhador do escritório que mais tempo trabalha na ONG. Total: 3 colares de rosas e um fio à volta do meu pescoço.
No final, depois de abraços, agradecimentos e quase lágrimas, foi-nos dada alguma comida (paties que é feito de massa folhada e batata e um doce), mais um costume da Índia. Eu já estava a fazer um grande esforço para comer tudo, quando a Mrs. Garg me oferece o doce dela....
No dia seguinte, ontem, sábado, fui convidada para jantar a casa dela. Fui comprar umas flores em tom de agradecimento mesmo antes de ir. A hora de encontro era às 20h na minha casa, já que o jipe me iria buscar. Esperei, esperei.... Ela telefona-me a perguntar onde estou e eu só digo que estou em casa... Ás tantas, ela diz-me para apanhar um riquexó em direcção a casa dela... Começo a andar, faço a curva no final da minha rua e lá estava o jipe.... Bem, uns 40 minutos atrasada e com toda a gente à minha espera (toda a gente, entenda-se Mrs. Garg, Cristina e Krishna, o marido de Mrs. Garg)...
Foi o segundo jantar que tive numa casa indiana... Em 4 meses, comi peixe mas teve de ser com moderação, já que o meu corpo não está habituado a peixe (vegetais, vegetais e vegetais).
Estivémos a conversar sobre Economia, apesar do marido ser professor de Fisica na Universidade do Rajastão (já estiveram a viver umas temporadas no estrangeiro - US, Suécia, etc.) e sobre alguns acontecimentos que eu presenciei na ONG. Foi bom relembrar os bons tempos.... Rimo-nos imenso!
Agora, quando voltar à India, tenho obrigatoriamente que visitar estes meus amigos. Der por onde der :P.... Para mim, será um prazer!
Fotos do último dia, aqui

terça-feira, 28 de julho de 2009

4 meses

Faz hoje precisamente 4 meses que estou na Índia.
Cheguei dia 28 de Março e muitas coisas aconteceram entretanto (vou-vos por a par assim que chegar a Portugal!), assim como as saudades apertam a cada dia que passa.
Este post e por ser nesta data, vai ser dedicado á minha ONG. O final começa a aproximar-se. Começo a sentir um aperto no coração.... Foram 4 meses onde consegui pessoas fantásticas no escritório, onde ajudei uma ONG a realizar o seu trabalho diário...
Hoje particularmente, Mrs. Garg perguntou-me quando me ia embora. Eu disse-lhe 6ªf, ao que ela respondeu "Tens a certeza? Mas vais voltar para Portugal?". Eu respondi "Não, não. Vou aproveitar para viajar pela Índia. Só regresso a Portugal dia 28 de Agosto". Ela pergunta-me de novo "Já reservaste os bilhetes?", "Não" respondi eu.... "Não reserves. Fica connosco mais uns dias". Isto foi na primeira vez...........
Segunda vez, diz-me a mesma coisa, para não me ir embora. Eu só olho para o lado, para tentar lhe dizer que não podia ficar mais tempo.
Entretanto, estou a finalizar o relatório de 2007-2009 da ONG. Ela pediu-me para introduzir o meu nome no discurso inicial do relatorio, em nome dela, por ter sido eu quem fez o relatório.... Escrevi o discurso e coloquei lá o meu nome... Por um lado, senti-me estranha por fazê-lo (as pessoas que trabalham no escritório trabalham lá há mais tempo que eu e nunca viram o seu nome escrito em lado nenhum em forma de reconhecimento). Por outro, vejo que o meu trabalho está realizado e finalizado da melhor forma. É um orgulho ter o meu nome escrito no relatório que vai ser impresso e distribuido por aqui. Espero ter uma cópia antes de me ir embora para mostrar em Portugal :P
Entretanto, tirei algumas fotos da escola onde o escritório está situado, Aravali Public School, para o relatório desta mesma escola a ser entregue a patrocinadores holandeses.

As fotos estão aqui

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Tesourinhos durante a viagem

Oferece-se recompensa a quem conseguir explicar o que está escrito! Note-se que tal discurso vem na parte de trás do menú da referida "bakery"






Sandes de legumes e queijo de iaque (yak)! Nhammmm!

Viagem ao Norte da India - parte I


Eis uma pequena amostra do que fiz esta semana.
O trajecto: Jaipur-Chandigarh-Amritsar-Dharamshala-Manali-Jaipur
Pessoas: Eu, Amy (inglesa), Kelsey (americana), Max (holandes), Emily (canadiana), Anthony (frances) e Kelly (canadiana, que se juntou a nós mais tarde)
Duracao: sábado, dia 18 de Junho a domingo, 26 de Junho
Meios de transporte: comboio e autocarro
Tempo: metade calor, principalmente em Amristar e metade frio em Dharamshala e Manali

CHANDIGARH:
Partimos de Jaipur no sábado à noite em direccao a Chandigarh. Chandigarh é uma cidade não indiana, se é que posso assim chamar. É extremamente organizada e limpa para os padrões que por aqui se veem. Não lá lixo nas ruas, os riquexós respeitam os sinais de trânsito, há relva verdinha e fresquinha. Passamos cerca de meio dia nesta cidade, visto não haver nada de interessante a fazer por lá. Fomos até ao Rock Garden, que foi projectado por Le Corbusier (?), onde se podem encontrar algumas estátuas como nesta foto.

Apanhamos um autocarro á noite para a paragem seguinte:


AMRITSAR:

Esta cidade é conhecida pelo "templo dourado" (Golden Temple). É um templo muito importante para os sikhs, que é outra religião muito enraizada na Índia, em particular, na região de Punjab. Não vos consigo explicar muito bem em que consiste esta religião e em que valores se baseia porque ainda não consegui perceber muito bem..... Por volta das 4h chegámos a Amritsar e fomos logo ter ao recinto do Golden Temple, pois aí há guest houses que acolhem as pessoas.... Ficamos num quarto com AC (ar condicionado) que soube que nem ginjas, visto ser imenso o calor que por lá se fazia. Mal entrámos no Golden Temple, tivémos que tirar os sapatos e cobrir a cabeça (daí eu estar com um pano á volta da cabeça e ombros). Para além disso, conseguimo-nos "infiltar" na zona onde distribuem refeições gratuitamente, o que foi bastante interessante: um templo onde as pessoas podem ter refeições sem pagar nada, sendo as refeições bastante básicas e simples, onde toda a gente se sente no chão e come com as mãos, ao estilo indiano :)


Ao final do dia, fomos até á fronteira com o Paquistão! Sim senhor, à fronteira com o Paquistão! :P
E para ver o quê? Bem, todos os dias há tipo uma cerimónia entre as tropas indianas e paquistanesas, onde cada grupo mostra o seu patriotismo. De cada lado há inclusivamente bancadas para as pessoas assistirem e gritarem pelo seu país. O lado indiano estava completamente assoberbado por pessoas a gritarem "India, India, India" e outras palavras em hindi que eu não percebi. Em tempos, houve uma grande guerra entre estes 2 países, sendo que foi uma das mais sagrentas do mundo. Os mulçumanos que estavam na Índia foram obrigados a ir para o Paquistão e os hindus no Paquistão obrigados a ir para a Índia.... Em inglês, chama-se Partition a este conflito.... Foram momentos bastante marcantes mas de dificil compreensao para mim, visto não partilhar desta mesma história.


DHARAMSHALA:

No meio de montanhas, lá chegámos a Dharamshala, onde efectivamente mora o Dalai Lama! É verdade! O Dalai Lama não mora no Tibete mas na Índia. Acho que tem a ver com a invasão chinesa mas não tenho a certeza...

É uma zona rodeada de tibetanos. Uma outra parte da India.... É também muito visitada por turistas.... Deu para relaxar, ler um pouco, caminhar.... Na foto estão expostas algumas bandeiras, que significam preces tibetanas. Há imensas espalhadas pelas montanhas, casas, etc., para que o vento leve para longe e para todo o lado o que as palavras e os desejos das pessoas.



MANALI:
Numa viagem de quase 9 horas, chegámos a Manali, num trajecto cheio de curvas e contracurvas. Surpreendemente, não consegui dormir (para quem me conhece, sabe que eu consigo dormir em qualquer lado :D), num autocarro cheio de turistas.
Por mero acaso e/ou pelo facto de termos encontrado no Lonely Planet uma descricao sobre uma guest house gerida por uma senhora holandesa que ficou na Índia porque se enamorou por um indiano, ficamos com uma vista espectacular sobre as montanhas, como é descrita na foto! Uma acomodação fantástica! É também um local cheio de turistas, onde se come principalmente comida "normal". Local idela para descansar do barulho, confusao e stress de Jaipur.
Locais a visitar, certamente. Quem sabe, ainda em Agosto, antes de regressar a Portugal, para recarregar as baterias :)
Mais fotos sobre a viagem, aqui

Descoberta incrivel

Após passar várias horas em autocarros para percorrer centenas de kilometros pela India, encontro a solucao ao meu problemas no que toca a sestas nos autocarros

O que vos parece que isto é?



Serve para por ao pescoço! (se nao serve, fiz com que servisse)

Soluçao da charada: é um impermeavel!

Tcharammm! Não é fantástico?

sábado, 18 de julho de 2009

Noticias fresquinhas

Parece que estou a perder a pedalada no que toca a actualizar o blogue. Nao é de proposito, digo-vos...

Assim, o que se foi passando nas ultimas semanas e os planos para as proximas:

- Chegaram 2 estagiarias novas à minha ONG, uma portuguesa e uma polaca. A Mrs. Garg responsabilizou-me por tomar conta delas no primeiro dia, ao introduzir o que a ONG faz. A Mariana nao tem mais nada e pensa que o melhor será mesmo po-las a ler relatorios dos projectos, o que foi precisamente o que a Mariana fez nos 3 primeiros dias de trabalho. A paginas tantas, perguntam-me a mim e ao Nacho como foi o nosso primeiro dia e nós respondemos "Foi precisamente o que estao a fazer!"... Depois comecam-me a fazer perguntas de quem chegou a pouco tempo do mundo desenvolvido: "Viemos de riquexo para o trabalho e pagamos 60 rupias. Pagamos imenso" e eu sou pensava "Nao, estao enganadas, é o preco certo".... Perguntaram-me logo de seguida "Nao ha nenhum carro que nos vai buscar a casa para o trabalho?", ao que eu respondo "O riquexo é mesmo o unico meio de transporte que voces tem"... Mais tarde "É possivel trazer o meu portatil para apanhar wireless ca no escritorio?", sendo que a Mariana responde "Acho que nao vai dar porque so ha um computador que tem net e é por cabo".......

- Ontem tivemos a despedida do Lucky e de mais uns quantos estagiarios que se vao embora. Ca em casa, o pessoal pediu à Mariana (je) para fazer um filme com fotos dedicado a ele... A Mariana é conhecida por ser a Windows Movie Maker expertise porque em todas as despedidas e aniversarios, la esta a Mariana á frente do computador por umas 3 horas a fazer o filme... Eu ate comeco a perguntar-me quem é que vai fazer o meu filme, quando eu me foor embora :P....... Bem, continuando..... A minha ideia era fazer um filme emotivo, com algumas fotos de algumas actividades que se foram desenvolvendo e no fim, por uma foto-montagem, com uma foto dele na cabeca e um Transformer (para quem nao sabe, os Transformers sao desenhos animados. Sao maquinas que se transformam em motos e carros). Isto porque fomos ver o filme "Transformers", uma vez que ele por 2 semanas nos estava a melgar para ir ver. Posso dizer-vos que foi um dos piores filme que vi na minha vida. Sinal disso é que adormeci no cinema! Exactamente.... NO CINEMA :)!.... Bem, mas ele estava super entusiasmado.
Entretanto, enquanto alguns deles foram ver o Harry Potter ontem, a Mariana passou a tarde quase toda a frente do computador para fazer o filme. Depois do filme, encontramo-nos todos no Cafe Kooba e pedimos ao gerente por um projector e um portatil.... La conseguimos arranjar, para nossa excitacao.... Chamamos toda a gente, depois de termos preparado o local ás escondidas.... Bem, eu so abanava a perna para nao chorar.... Sem efeito! A Mariana, quem fez o filme, largava lagrimas por tudo quanto era lado enquanto o Lucky nem uma! So dizia "Foi o melhor presente que alguem me deu, nao tenho palavras para descrever".... Toda a gente me dizia "Boa Mariana, fizeste um bom trabalho. Estava lindo!" e era so ver o meu ego a crescer :P... Estava mesmo orgulhosa do filme!

- Chegaram um 12 portugueses a Jaipur vindos da Catolica. Invasao portuguesa, como vos disse anteriormente. A cada semana que passa, so vejo mais e mais estagiarios a chegar, sendo que a AIESEC, por vezes, nao providencia com os melhor dos servicos....

- Proxima semana vou viajar... Eu, o Max (holandes), a Kelsey (americana), a Amy (inglesa), o Anthony (frances) e a Emily (canadiana) vamos a Amritsar, Chandigardh, Dhramsala, etc... Na ultima de Julho é a minha ultima na ONG e depois, em Agosto, é explorar o Norte da India.... Ver os Himalaias, ver as partes tibetanas da India, fazer trekking (quem sabe)....

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Actualizando

O tempo voa a grande velocidade... Ja estamos a meio de Julho.... Acreditam nisto?
Em linhas muito gerais, algumas coisas foram acontecendo por aqui, como é obvio, uma vez que estamos a tratar da India, certo :P?

A Louise, a minha companheira de quarto vai-se embora no domingo. Esteve aqui desde Janeiro e vai voltar para Dinamarca. Ontem ensinei-lhe como regras gerais de Powerpoint e Windows Movie Maker. Ela sabe usar o Powerpoint mas é exigente com ela propria, uma vez que acha que os slides dela nao sao profissionais. Eu ate lhe disse que tinha professores de faculdade que faziam slides muito piores que os dela, o que a alegrou! Com esta situacao, lembrei-me da ideia genial da minha irma, o BCC - Banco de Conhecimento Comum (pensavas que me tinha esquecido, hein?). O conceito é simples: havendo um grupo de pessoas e tendo essas pessoas diversos conhecimentos, porque nao troca-los sobre uma forma gratuita, ou seja, conhecimento por conhecimento? Ela ensinou-me os conceitos basicos do budismo e eu ensinei-lhe como usar estes 2 programas... Muito simples, nao?

O Lucky vai-se embora no proximo fim-de-semana... Vai assistir a uma conferencia internacional da AIESEC na Malasia e vai la ficar 2 meses. Esta super contente e empolgado... Comecou a fazer uma lista de coisas a fazer há um mes atras com as coisas mais absurdas :P... E como é a primeira vez que ele vai sair da India, ainda mais importante é esta viagem.

Nos ultimos fins-de-semana nao tenho viajado porque a maioria das pessoas vai para sitios onde eu ja fui nos ultimos 4 meses. Entao, tenho aproveitado para conhecer melhor as pessoas que moram comigo e que tambem decidem ficar em casa. Aproveitamos tambem para ir ao cinema. Ver filmes de Bollywood num cinema indiano é uma experiencia que eu aconcelho a toda a gente! É espectacular. Acredito que ja a descrevi num post anterior, nao?

Com o fim do meu estagio, as pessoas com quem trabalho mais de perto, vao-me dizendo para nao ir embora porque vao sentir muitas saudades minhas. Eu tambem vou sentir muitas saudades delas. Hoje inclusive, uma delas disse-me que, quando arranjarem mulher para o irmao dela, que ela me enviara o convite do casamento dele por correio, so para eu regressar a India :)

Entretanto, tudo preve que as moncoes devem comecar em breve. Chuva e humidade, simultaneamente. Nem apetece vestir o impermeavel porque vai-se suar, com certeza!

Ja comeco a alargar os meus conhecimentos de hindi. As novas frases que me ensinaram sao:
- vais ser castigado (saza milaigi)
- famoso dialogo num filme de bollywood que significa quantos homens estao ai? (arai ho samba. Kitne aadmi thai?)
- desculpa (mujhe maf kar do)
- estas desculpado (chalo maaf kiya)
É um maximo quando digo a 2a frase porque as pessoas nao estao nada a espera (tal como a 1a). É um dialogo super conhecido, tipo dialogo do Clint Eastwood :)... Sempre a aprender coisas novas! O mais giro é que sao coisas extremamente inuteis mas é tao divertido aprende-las e dize-las a pessoas indianas... Elas so se riem de mim! hehehehe

Desculpem a ausencia de noticias! Espero que tenham gostado destas ultimas :P

sábado, 4 de julho de 2009

Casamento Indiano

Ontem fui a um casamento indiano.Toda a gente que vai e que conheco fica extremamente excitada com a ida. E nao é para mais...

Durante a semana, eu, a Shazia (canadiana, com origens afegas, paquitanesas e indianas) e a Tyrza (holandesa) fomos às compras e compramos tudo a que temos direito: sari, pulseiras, brincos, gancho para o cabelo... So faltou mesmo os sapatos mas eu decidi nao gastar dinheiro com isto.

Falamos com a Diipa, uma rapariga indiana da AIESEC para vir a nossa casa para nos ajudar a vestir o sari. Vestir o sari nao é tarefa fácil. O sari é composto por um pequeno top para tapar o peito mas a barriguinha fica à mostra, uma saia simples que é vestida por baixo do sari propriamente dito. A saia tem de estar bem apertada à cintura, caso contrario, se pisarmos os sari, la vai tudo por água abaixo...

Chegamos ao recinto do casamento ás 21h e toda a gente olhou para nós, assim que entramos. Estao a ver duas brancas com sari vestido? Pois, foi a surpresa total. Gracas a Deus, a Shazia sabe falar hindi, o que facilitou as coisas... Traduzia o que estavam a dizer. Toda a gente comentava que estavamos lindissimas e que era um prazer ver que nos tinhamos respeitado o costume de vir de sari.

Como vinhamos do lado do noivo (nem sequer faziamos ideia quem eram os noivos - fomos um bocado à socapa), tivemos de sair do recinto para nos juntar á parada com o noivo. O noivo vinha de cavalo com imensas pessoas à frente e com musica altissima... De vez em quando, a parada parava para as pessoas dancarem...

Depois de chegarmos, ainda tivemos à espera de ver a noiva chegar, pois ela so pode entrar no "altar" (um espaco onde ha 2 tronos para cada um) depois de o noivo chegar... Como podem comprovar pelas fotos, ela parece triste. Ela tem de parecer triste porque vai deixar a casa dos pais dela para morar com o marido. É um casamento arranjado, ou seja, os pais de cada um dos lados arranjou o casamento... Sao raros os casamento por amor!

Podem encontrar as fotos aqui

terça-feira, 30 de junho de 2009

PUMAP 2009

Ja que estou numa onda de dedicar os meus posts, quero dedicar este ao PUMAP 2009. Sei que algumas pessoas ja partiram no sabado passado para prepararem terreno para as que viajam no proximo sabado... Faltam 4 dias para uma grande aventura, provavelmente uma das melhores e mais enriquecedoras das suas vidas (pelos menos, foi-lo para mim).

O PUMAP diz-me muito: fui duas vezes a Mocambique atraves deste projecto e fiquei como responsavel por ele dentro da direccao da AHEAD (www.ahead.org.pt). Conheci pessoas fantasticas e um pais fantastico. Sempre que falo de Mocambique, alguma nostalgia envolve-me...

O grupo que agora vai, vai ficar 2 meses la, tal como aconteceu nos outros anos. Sei que vao fazer um trabalho incrivel porque ja deram provas disso em Portugal. Conseguiram encarar a tao famosa crise e amealhar dinheiro para realizar a quinta versao deste projecto.

Uma vez que nao vou estar presente na despedida no aeroporto, quero desejar a quem irá participar este ano activamente no local, o melhor das sorte e o desejo de um bom trabalho..... Quero noticias de lá! :P

As últimas da semana passada

Já faz uma semana que nao tenho dado noticias.... Uma semana sem saberem mais coisas sobre a Índia e sobre a minha fantastica experiencia :)... Vejo que tenho leitores assiduos, o que me conforta.

Por isso, dedico, antes de mais, este post a todas as pessoas que diariamente vem aqui para ver se há algo de novo :P

Agora, o que se passou na semana passada:

- domingo conheci na piscina o novo estagiario que vai trabalhar comigo na Bal Rashmi. Chama-se Ignacio mas tratamo-lo por Nacho, porque é mais facil (em hindi quer dizer "danca", entao ele recebe risadas sempre que diz o nome dele!). Vem perto de Barcelona, estudou Farmacia, esteve a estagiar num hospital em Roma e fez Erasmus em Estrasburgo. Uma pessoaa bastante viajada, portanto (pelo menos, na Europa). Ainda anda um bocado às aranhas com o trabalho, um pouco desmotivado e a questionar-se sobre o que esta a fazer. Ontem esteve a ler 2 relatorios, hoje esteve a arrumar o arquivo com mais 2 estudantes indianos que tambem estao a fazer um estagio na ONG. Hoje perguntou-me como comer comida indiana :)

- na proxima sexta-feira vou a um casamento indiano com mais 3 raparigas que moram comigo. É o casamento do irmao da dona de um salao de beleza a que algumas raparigas vao. Nao conhecemos os noivos de lado nenhum mas fomos convidadas na mesma! Os casamentos indianos sao qualquer coisa! Montes de musica, comida, provavelmente os noivos andarao de elefantes (se a familia tiver dinheiro para pagar), performances (danca)....Amanha vou às compras com elas para ver se compramos um sari para o casamento :)...

- na sexta-passada fui ao cinema, novamente, nao para ver um tipico filme de Bollywood, com montes de musica e danca mas sim um filme mais serio. Chama-se "New York" e trata sobre terrorismo nos EUA. É uma experiencia gira ir a um cinema indiano porque a audiencia vibra com cada cena. Por exemplo quando um casal está prestes a beijar-se, a audiencia comeca a gritar e a assobiar mas as personagens nunca oficializam o acto. Quando uma rapariga tem uma mini-saia vestida ou uma t-shirt com um decote mas nao muito grande, as pessoas vibram e gritam, super excitadas... Ha tambem o caso de, se tiverem o telemovel a chamar, de atende-lo no meio do filme e comecarem a falar, tal como levar criancas pequenas para ver filmes onde há mortes e tiros...

As grandes noticias estao aqui!

terça-feira, 23 de junho de 2009

Visita a Udaipur

Este fim-de-semana fui a Udaipur com mais 4 pessoas: o Olivier (frances), a Elif (turca) e a Carla (americana com origens porto-riquenhas). É uma cidade que fica a 8 horas de Jaipur, de comboio. Partimos na 6a com um atraso de duas horas e chegamos no sábado às 8h da manha...

Sabado foi dedicado a sight seeing, pelo palácio e pelas ruas da cidade. No final do dia, estávamos num museu a pagar o bilhete para assistir a um espectactulo de danca e musica do Rajastao quando um rapaz lê "Cabo Verde" da minha t-shirt (Laura, desculpa, mas trouxe duas t-shirts tuas :P). Eu fiquei super admirada porque ninguém se atreve a ler o que está escrito e, por vezes, quando nao conseguem, pedem-me para explicar o que é. Daquele vez, "Cabo Verde" saiu perfeito! Ele perguntou-me se eu era de lá e disse-lhe que nao, porque era portuguesa. Ele ficou super contente e logo me disse que era brasileiro e que estava acompanhado de uma amiga tambem brasileira. Foi a alegria completa! Jantamos com eles no sabado e demos-lhe o nosso contacto para o caso de eles quererem juntar-se a nós no domingo.

No domingo planeamos alugar scooters para explorar a cidade ao seu redor. No entanto, o Olivier e o Artur (brasileiro) eram os únicos que conseguiam conduzir motos e nós eramos 6! O que fazer?? Alugamos 2 motos e um riquexó para o dia todo! Andamos por todo o lado e chegamos ao Monsoon Palace, no meio da montanha, com o riquexó a fazer barulho por tudo quanto era sitio :)

Em Udaipur, há uns anos atrás foi rodado o "Octopussy" do James Bond... Esta cidade é conhecida por ter um lago e dois palacios luxuosos no meio. No entanto, lago, nem vê-lo! Sequíssimo! E todos os hoteis orgulham-se de exibir diariamente o filme para turista ver :P.... Tenho de o ver um dia e gabar-me de ter estado nesta cidade :P

Fotos, aqui

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Fotos do escritorio

Antes do Stefan partir, ele decidiu tirar umas fotos.

Deixo aqui algumas porque sei que muita gente anda curiosa para saber como é que é um escritorio da India :P

Na primeira foto aparece a senhora que limpa o escritorio e a escola (o escritorio é dentro de uma escola) e na foto abaixo dela, estavamos com os 2 contabilistas, o Satendra (?) e a Bini.

A pessoa que aparece mais vezes connosco chama-se Achilesh e é uma comédia. Está sempre a mandar piadas e a desanuviar o ambiente. Toda a gente tem alguém assim, certo?
Há uma pessoa que eu gosto imenso mas nao aparece nas fotos. Chama-se Mansi.... Talvez tire umas fotos em breve :)

Trabalho?

Como vos disse, ando a dar explicacoes de ingles a um grupo de raparigas, cada uma com o seu nível de conhecimento, o que torna a minha tarefa uma verdadeira tarefa de Hércules....

No entanto, a par disto, ando a trabalhar num relatorio.... Mais precisamente, ando a trabalhar em vários relatórios e nenhum deles está acabado, o que me exige calma e paciencia (como se diz por aqui "Peace of mind"). Gosto de ter as coisas acabadas e saber que, ao passar para um projecto, relatorio, actividade, sentir que os trabalhos desenvolvidos anteriormente estao completamente finalizados. Desde o inicio do meu estagio, posso dizer que nenhum relatorio que escrevi, está completo.

Neste momento, tenho em maos o relatorio de 2005-07, 2008-09, as aulas de ingles e a reuniao de informacao sobre a Mrs Garg e sobre a ONG para concorrer a um prémio monetário das Filipinas.... Acho que, até ao final do estágio, devo ter mais coisas a meu cargo....

Tambem soube que no final do mes, deverá vir um rapaz de Espanha para trabalhar comigo e em Julho 4 raparigas de Portugal. Ibéria no seu melhor :)

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Mais uma despedida, desta vez do Stefan

Penso que já vos falei do Stefan. De qualquer maneira, para não terem de voltar atrás nos post, vou recordar-vos quem ele é. O Stefan é um rapaz do Reino Unido, de Manchester, que está a trabalhar comigo na mesma ONG. Não veio através da AIESEC como eu mas através da tia que conhece a Mrs. Garg, portanto, meio freelancer :)

Ele vai-se embora no domingo para Gujurat, um outro estado da Índia. Durante 2 meses estive a trabalhar e a morar com ele. É como se fosse um irmão mais novo para mim, pois tem 18 anos e comporta-se como um rapazinho.

É a pessoa que mais banhos toma e mais tempo demora na casa-de-banho. Se estivermos á procura dele e não o encontrar-mos, é porque ele está no WC. Para o chamar de qualquer lado da casa, grito por "Stefaaaaan" e ele imediatamente sabe que sou eu e responde "yes, Mariana!".


As fotos de cima foram tiradas hoje, no riquexó, quando vinhamos do trabalho. Foi o seu último dia no escritorio, o que me tornou bastante triste... As despedidas são dificeis para mim, mas ele sabe que é a altura ideal para ir embora.


Vou ter muitas saudades dele.... Foi a alegria dos últimos dias. Quem sabe um dia não irei a Manchester visitá-lo! :D

foto tirada hoje no carro da ONG enquanto iamos comprar doces e lassis para a festa de despedida do Stefan no escritório com algumas crianças que a Bal Rashmi acolhe num dos seus lares

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Lembranças de Leiria

Mal vim á Internet, reparei que tinha recebido um email do meu pai. O melhor de tudo foi quando percebi que tinha anexos. E que anexos eram esses? Fotos com amigos e sobre Leiria para eu não me esquecer enquanto por aqui estiver...

É-me impossível esquecer o que deixei em Portugal: familia, amigos, cidades, actividades, momentos, planos, discussões, tertulias, jantares,...

Gostava de as colocar por aqui mas nao estou a conseguir. De qualquer maneira, aqui fica a referência.

Obrigada Pai :D

Misturando e baralhando

Ainda se lembram das pessoas de que vos falei mal cheguei a Jaipur? Pois bem, aqui, na Babyloon House (é como se chama a nossa casa no mundo da AIESEC Jaipur), poucas sao as pessoas que permanecem as mesmas desde a minha chegada.

Finais de Marco: eu, a Tonia (ucraniana), a Lotta (alemã), a Louise (dinamarquesa), a Reigui (suiça), o Lucky e o Monty (indianos)

Agora: eu, a Ana (portuguesa), a Amy (inglesa), o Stefan (inglês que se faz embora este domingo :(), a Tonia, a Tyrza (holandesa), uma canadiana com misturas indianas e afegãs 8nao me recordo do nome dela), uma turca (tambem nao me recordo do nome dela), a Kelsey (americana) e os dois rapazes indianos.

Um autêntico melting pot! Para além disso, cada um tem a sua religião, o que torna tudo muito mais giro. Pelo menos, eu e a Tonia somos católicas, a Louise é budista, a canadiana e a turca são mulçumanas e os rapazes indianos hindus. Por enquanto, ainda nao houve nenhum problema :P

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Ultima viagem: Mount Abu

Mount Abu nao é muito conhecido pelos turistas que visitam a India mas nós somos aventureiros e decidimos ir na mesmas. Da minha casa, apenas fui eu e a Kelsey (a americana). Da White House foram 11 e da outra casa uma rapariga. Total: 14 pessoas! Inundamos os autocarros só connosco...

Partimos na 6a e chegamos no sabado da manha. Alugamos 2 jipes que fizeram a visita turistica pelos sitios de interesse, como templos hindus e um local internacional de meditacao.

Para arranjar alojamento, foi o cabo dos trabalhos. Acabamos por dormir num terraco, com cobertores e tudo, porque estava fresco. Conhecemos 2 inglesas que daqui a uns dias irao nos visitar em Jaipur.

No domingo, fizemos uma caminhada pelas montanhas. Mount Abu tem o pico mais elevado de todo o Rajastao (1700m de altitude). Depois do Nepal, consigo fazer qualquer coisa. Foi uma caminhada facil, onde, muito ao de longe, vimos um urso bebe. Eu nao vi porque estava no final, mas as pessoas que estavam na frente dizem que viram.... Vamos la ver se é verdade ou nao :P. Partimos de Mount Abu ás 19:30 e chegamos hoje, 2a, às 9h. Foi chegar a casa, tomar um duche e seguir para o trabalho.

Mal cheguei, o filho dos senhorios entregou-me uma carta. E de quem será, perguntei-me?
Nela & Bernardes!!!!!!..... Que bela supresa. Surpresa ainda maior foi ver que, com a carta, vinha uma foto com a Laura, a mae, a Nela e o Bernardes há uns anos atrás (quanto anos terá a foto?). Obrigada pela surpresa :)

Fotos nao sao muitas, mas aqui fica o link

Novidades por aqui

Bem, as coisas vao acontecendo a uma velocidade estonteante. Novas pessoas que chegam, de diversos paises. Chegaram ca a casa uma rapariga turca, uma holandesa, uma americana e uma canadiana. Melting pot, autentico!

No meu trabalho, o Stefan vai embora neste fim-de-semana, o que vai ser muito triste. No entanto, soube pelo meu contacto dentro da AIESEC Jaipur que em Julho vou ter mais 5 portugueses a trabalhar comigo e pelo que ele me disse, vai haver uma invasao de portugueses :P.

No trabalho em si, estou agora a ensinar 4 raparigas mais velhas, o que facilita o meu trabalho na preparacao do material a dar. Entre os intervalos de ingles, enquanto 3 delas fazem exercicios, ensino uma 4a conceitos básicos de economia. Quem diria que eu vinha para a Índia ensinar conceitos economicos que aprendi à 4 anos atrás. Está a ser muito giro porque: 1-há muitos conceitos em ingles que sao imprescindiveis para compreender o basico mas ela nao entende, entao tenho de fazer uma grande teoria para os explicar em ingles; 2-tento arranjar exemplos do dia-a-dia indiano para ver se ela percebe. Hoje ensinei a curva de possibilidades de producao.... hehehehe

terça-feira, 2 de junho de 2009

Visita ao Taj Mahal

Partimos de Jaipur na sexta à noite, precisamente no dia que o Lucky (o rapaz indiano que mora comigo) fazia anos. A maneira que ele decidiu adoptar para festejar o seu aniversario foi cozinhar o jantar. Como ele esteve a dormir a tarde toda, so comecamos a cozinhar bem em cima da hora do jantar... Um jantar meio indiano e meio ocidental, com um prato principal feito por ele e a sobremesa feita por mim, pela Ana e pela Amy. Ainda teve direito a presente (Monopolio - porque ele estava sempre a dizer que deveriamos compra-lo ca para casa)! No entanto, eu e a Ana tivemos de sair a meio do jantar porque iamos apanhar o autocarro da meia-noite para Agra.


Chegamos a Agra às 5h e foi logo seguir para o Taj Mahal. Nem houve tempo para tomar o pequeno-almoco antes de ir. Primeiro as coisas importantes :P. O Taj Mahal é um monumento que transborda imponencia e todo o seu significado é algo mistico. Esta rodeado de jardins e montes de turistas! É giro ver o contraste estre a tranquilidade dos jardins e o barulho das pessoas. Estivemos lá cerca de 4h e seguimos depois para o Agra fort.... A verdade é que os fortes ja me conhecam a ser todos iguais! Tiramos montes de fotografias com os indianos propriamente ditos, sem os nunca conhecer, sejam eles da policia, bébes, familias, etc... Regressamos a Jaipur às 20h de sábado...

O link para ver as fotos é este.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Novidades no meu trabalho na ONG

Esta semana estava de volta dos relatorios de 2005-07 e 2007-08 da ONG, ou seja, a compliar as informacoes quue existem sobre as actividades da organizacao num relatorio grande, quando a Mrs. Garg me disse que ela precisava de ajuda. Pensei, a principio que seria para um novo projecto, como fiz para o projecto da UNICEF mas afinal era para ajudar a dar aulas de ingles a raparigas que estao a ser acolhidas num lar gerido pela ONG.

A primeira aula foi um bocado improvizada porque o Stefan era a pessoa que lhes estava a dar aulas mas agora ele está a cargo dos rapazes enquanto eu das raparigas. Tenho um grupo de 7 raparigas, todas elas com graus de aprendizagem e conhecimento diferentes, o que é um grande desafio. Entre as 12h e as 14h de cada dia, ensino-lhes um pouquito de ingles e depois de almoco tento sempre preparar a aula do dia seguinte.

Ontem inventei uns exercicios sobre as cores, os numeros até 20 e sobre o verbo "to be". Básico dos basicos. Uma delas, a meio, disse-me que tinha gostado bastante da aula e que eu era boa professora, o que me dexou orgulhosa :P... Ainda nao sei os nomes delas todas porque os nomes indianos sao bastante dificieis de perceber à primeira.... Mas vou tentar fazer um esforco porque o pior que pode haver é um professor nao saber o nome dos seus alunos :P

Entretanto, comecei a reunir dados para o relatorio de 2007-08 e comecei a fazer uns graficos o que deixou a Mansi super espantada, por saber que sei trabalhar com o Excel. Tambem ja entrei numa pequena competicao sobre funcoes no Microsoft Word com o Achilesh, uma das pessoas que trabalha comigo e que se auto-entitula "computer expertise", so para a brincadeira!

Proximo fim-de-semana = proxima viagem

Amanha, precisamente, 29 de Maio, fará 2 meses que me encontro longe de Portugal mas tao perto deste país como nunca estive. É igualmente amanhã que partirei para Agra, a cidade do Taj Mahal que fica muito perto de Jaipur (umas 3 ou 4 horas se nao me engano)... O monumento mais internacional da India e um apelo ao amor :P

So vou agora porque so agora arranjei companhia para ir. Vamos 6 pessoas: a Karina (mexicana), a Dush (acho que é assim - malasiana ??), o Edward (australiano), a Ana (portuguesa), a Amina (canadiana) e eu! Voltaremos no sabado :)....

terça-feira, 26 de maio de 2009

Amizades que ficam mas que vao

Ontem a Olga fez anos e fomos ate casa deles festejar o anivesario dela. Ela mora com mais 5 ou 6 estagiarios numa casa que foi entitulada de White House :). No piso de baixo mora uma familia indiana que cozinhou um jantar para umas 20 pessoas...

Foi uma festa de aniversario com toques indianos e europeus, onde todos os estagiarios se reuniram. Antes de ir para a festa, decidi montar um filme com fotos de algumas viagens que fizemos e com musica indiana como banda sonora... Ela estava bem emocionada e estava bem contente com a festa. Foi uma noite bem passada... O problema é que todos nós tinhamos trabalho no dia seguinte :S

Feitas as contas dela, a Olga partirá daqui a 3 semanas para a Rússia. Todos nós nos queixamos sobre quao depressa o tempo passa e como as relacoes que criamos uns com os outros sao tao esporadicas. Claro que só depende de nós continuar com elas quando regressarmos mas parece que a conheci só ontem e ela vai-se embora daqui a poucas semanas :S

Proximo fim-de-semana há 3 pessoas que fazem anos: o Lucky (o rapaz indiano que mora comigo), a Asel e a Ana... Vamos lá ver como serao!

Andarei maluca?

Ando a repetir as informacoes, nao ando? Tem de escrever comentarios sobre o que querem saber para dizer nos proximos posts :D

Como se tornar indiano/a em pequenos passos?

Eis um pequeno "manual de instrucoes" sobre como se tornar um/a indiano/a:

  1. Aqui, como ja repararam, sao poucas as vezes que se come com talheres. Portanto, é levar as maozinhas à comida e envolve-la por entre os dedos
  2. Porque nao frequentar dancas de bollywood? Sao um pouco parecidas com aerobica mas sao super divertidas
  3. Movimentar a cabeca para ambos os lados quando se quer dizer que sim. Basta movimentar uma ou duas vezes e fica dito (já há pessoas que me dizem que adquiri esta habito tao depressa porque estou aqui há pouco menos de 2 meses e já faco isto como se fosse nativa :P)
  4. Casa-de-banho é uma aventura, entao quando nao há papel higienico... Eu tento ter sempre papel higienico comigo porque recuso-me a fazer de outra maneira
  5. Tentar aprender algumas palavras em hindi. Ja sei algumas mas nao consigo falar fluentemente (acho que nem ao fim de 5 meses vou conseguir falar fluentemente). Sei dizer "sim", "nao", "obrigada", "quero beber chá", "em frente", "vamos embora", "acabei", "dar e receber", "mau", "o que fazer?", "20", "30", "40", "40", "agua" e pouco mais... Ate agora consegui sobreviver! :P
  6. Beber chá quente rapidamente, mesmo quando esta calor. Quando os indianos oferecem chá, é sinal de amizade, mesmo nao conhecendo a pessoa de lado nenhum
  7. Nao ficar assustado com o transito nem com as businadelas....
  8. Atravessar completamente ao calhas a estrada
  9. Cumprimentar sempre as pessoas com um "namaste" simultaneamente com as maos juntas, como se estivessemos a rezar
  10. Regatear sempre!

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Depois do Nepal

A minha vida não pára depois de vir do Nepal. Continuo a trabalhar na ONG (foi para isso que cá vim) mas o trabalho não me está a motivar muito... Só escrevo relatórios e pouco mais.

Entretanto, comecei a ir a umas aulas de dança... É uma espécie de dança de Bollywood mas tivemos um novo professor que misturou música disco de estiilo Michael Jackson... Foi muito engraçado. Eu passo as aulas a rir-me porque os passos sao hilariantes! Até estou surpresa comigo mesma pelo facto de estar a frequentar aulas de dança, coisa que nem faço em Portugal, mas tenho de entrar no espirito Bollywoodesco :).

Como já vos contei, partilho o quarto com uma rapariga dinamarquesa. Chama-se Louise e ela é budista. Eu e a Ana (a rapariga portuguesa que mora comigo e que já está também a ler o meu blogue :P) começámos a cantar com ela, canticos budistas. A filosofia interessa-me e preenche-me pois dá-me respostas para algumas perguntas... Os canticos sao em japones e as oracoes tambem. Por vezes colidem com a minha espiritualidade catolica mas acho que consigo tirar o melhor dos dois mundos (assim o espero!).

Comecam a chegar novas pessoas. Para alem daquelas todas de que ja vos falei, chegou uma rapariga da Malásia e uma de França... A família dos estagiários começa a aumentar :P

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Fotos do Nepal!

Pois bem, aqui ficam algumas fotos para abrir o apetite sobre o Nepal. Sem dúvida um país a visitar (não me canso de dizer :D).
Mais fotos, podem ser vistas aqui.


Foi um longo percurso até chegar aqui!



Varanasi, Índia

domingo, 17 de maio de 2009

Tudo sobre a minha viagem ao Nepal

Como disse no post anterior, prometi-vos que ia escrever tudo o que se passou pelas terras nepalezas, tal como por algumas fotos e videos....


O percurso: ir até Delhi de autocarro (6 horas) para apanhar o aviao ate Katmandu (a capital do Nepal) (2 horas). 1 dia em Katmandu e 3 dias em Pokhara para fazer trekking no percurso de Annapurna. 36 horas em 5 autocarros de Katmandu para Varanasi, na India (uma cidade muito importante para os hindus). 7 horas ate Lucknow (comboio) e mais 12 horas para Jaipur (comboio)


As pessoas: 7 pessoas (eu, Floris, Tonia, Olga, Asel, Aika e Edward)


Precos: bastante mais baixos que na India. 1 euro vale 100 rupias nepalesas...


Conclusoes: uma viagem a fazer, sem duvida! Nao tem nada comparado com a India. É um pais ainda que bastante pobre, é mais organizado, mais limpo, menos confuso, com pessoas mais amigaveis que nao olham para nós como se fossemos extraterrestres, onde os tracos das pessoas se misturam entre os indianos com os chineses, onde o budismo e o hinduismo convivem no mesmo espaco....


Programa: partimos na 4a em direccao a Delhi e chegamos a Kathmandu na 5a. Mal chegamos ao aeroporto nepales, foi um constante bombardear de ofertas de hoteis, onde prometiam os precos mais baixos. Ha conseguimos um bastante bom e perto da zona mais turistica, onde passamos a maior parte do tempo, pois é onde estao as lojas, restaurante, supermercados, lojas de cambio, etc.... Este centro é formado por ruas estreitas com lojas em cada um dos lados, onde podem passar pessoas, carros, motas, riquexós.... Tudo à grande e à francesa! :D
No segundo dia em Katmandu, fizemos um pouco de sightseeing, apesar de nao conseguirmos fazer o percurso que estava no Lonely Planet...

Nos 3 dias seguintes estivemos em Pokhara, a segunda cidade mais importante do Nepal. Ambas as cidades foram construidas na parte baixa das montanhas, o que faz com que no horizonte se consiga vislubrar as montanhas. Perto desta cidade, na cordilheira de Annapurna, fizemos trekking, uma das provas fisicas mais dificeis da minha vida. Partimos de Pokhara ate ao inicio do percurso, no total de 5 horas de viagem de autocarro, por entre montanhas, arrozais, plantacoes de milho, etc. Connosco estava apenas um guia mas tambem é possivel requisitar uma pessoa que leva as mochilas. Pode parecer ridiculo mas o percurso é bastante acentuado e sem bagagem torna-se mais facil andar... Nos dois primeiros dias subimos ate uma altitude de 2800m,encontrando sempre pequenas casinhas onde se pode pernoitar e comer boas refeicoes, ainda que o preco é preco turistico porque a maioria das pessoas que passa por esses estabelecimentos sao pessoas que fazem trekking.

Durante o percurso adoeci, nao sei se por causa da altitude, se por causa da comida... No final, como cada vez é mais frio e como choveu, nao tinha levado a roupa impermeavel e quente (ficou em Jaipur, o local onde menos mais frioe onde nao era preciso estar!), passei umas boas horas na cama, debaixo do cobertor e a beber chazinho!

O trekking envolve diversos sentimentos e emocoes: permite-nos ver paisagens lindissimas e inexploraveis, admirar como é que pessoas conseguem viver nas montanhas e andar distancias gigantes para ir a escola,por exemplo, com dezenas de quilos às costas mas é um exercicio bastante dificil para quem nao tem muita resistencia fisica (como eu) e para quem nao esta adaptado a elevadas altitudes.....

O final da viagem estava reservado a Varanasi. Para tal, tivemos de apanhar 5 autocarros desde Katmandu e atravessar a fronteira, onde se viu perfeitamente a diferenca entre Nepal e India. Esta cidade é extremamente importante para os hindus porque eles acreditam que morrendo em Varanasi ou deitando as cinzas dos seus entes proximos para o Ganges, essa pessoa alcanca a perfeicao (falta-me a palavra). Ou seja, é uma cidade, que, pelo menos, junto ao rio, se respira a morte.... Por outro lado, o Ganges recebe milhares de outras coisas, como corpos que, por diversas razoes, nao podem ser queimados por serem sagrados (mulheres gravidas, pessoas mordidas por cobras, pessoas com lepra, etc). Nesse mesmo rio, milhares de pessoas banham-se, o que é uma visao assustadora e um pouco arrepiante...

Na volta a Jaipur, passamos em Lucknow, onde finalmente fui ao cinema. Era um filme de Hollywood mas tambem é possivel ver filmes de Bollywood. Senti-me de novo ocidental, num centro de comercial bastante moderno, com MacDonalds e outras lojas tambem conhecidas na Europa e em Portugal. É uma cidade bem mais limpa e mais verde que Jaipur, o que é perfeitmente normal visto estarem em diferentes estados da India.

Regressamos no domingo para Jaipur, para o calor infernal e amanha retomaremos a rotina que deixamos para tras. Ao regressar a casa, entregaram-meum postal que a Delphine (PUMAP) me enivou. O meu primeiro postal desde que estou aqui. Obrigada Delphine! :D

Fotos: proximo link!!!!!!!

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Proxima viagem

So para dizer que estarei fora de Jaipur nos proximos 10 dias porque vou para o NEPAL!
Vai ser uma viagem espectacular.... Vou com mais 6 estagiarios da AIESEC e quando regressar prometo-vos contar tudo sobre a viagem :)

Beijinhos

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Os meus compinchas estagiarios

Eis 2 fotos enquanto estavamos a ver os jogos de criquete.Passo a apresentar-vos: sentados, da esquerda para a direita:

Ana (Portugal), Karina (Mexico), Floris (Holanda), Olga (Russia), Eduard (Australia) e Tonia (Ucrania).


Em ambas as fotos faltam a Lota (Alemanha), Louise (Dinamarca), Amy (UK), Stefan (UK), a nova rapariga do Kirguistao (?) e acho que é só :)

Várias coisas

Na passada semana estive numa aldeia onde a minha ONG tem projectos. Nao sei o nome da aldeia mas fica a 5 horas de distancia, mais ou menos a 180 km com estradas cheias de lombas e condutores malucos, a fazerem manobras perigosas...

Fomos na 5a e quando chegamos estavam algumas dezenas de mulheres à nossa espera. Elas pertencem a uns grupos (self-help groups) onde debatem diversos assuntos, como educacao sexual, casamentos de raparigas, educacao para raparigas, aleitamento e micro-credito. Entre elas, é gerido um certo montante para montarem um pequeno negocio e era esse dinheiro que elas estavam a espera. Na altura de receberem, houve uma mulher que foi excluida porque estava a usar uma pulseira de prata e uns brincos de ouro... Isto é sinal de riqueza, entao foi excluida porque a Bal Rashmi apenas ajuda os mais pobres. Depois, ao final da tarde estivemos a ouvir historias da Mrs. Garg, a secretaria da ONG, sobre o inicio da ONG, sobre o seu casamento e o marido, etc... Parecia mesmo uma situacao em que a avo esta a contar historias aos netos... NO dia seguinte, fomos ate outra aldeia ver um terreno onde estao a trabalhar mulheres com o intuito de armazenar la agua. É um projecto da UNICEF e cada uma tem de escavar um determinado bocado de terreno com certas dimensoes... Voltamos na 6a a Jaipur...

Este fim-de-semana fiquei em Jaipur. Fui trabalhar no sabado e no domingo fomos ver um campeonato de criquete entre o pessoal da AIESEC. Uma especie de competicao entre AIESECers e antigos elementos da AIESEC. Nesse mesmo local, apareceram estagiarios da Tunisia e de Marrocos que estao a trabalhar em Mumbai e que estavam em Jaipur so de passagem. Havia um rapaz que estava super deprimido por causa da cidade, da poluicao, pelo trabalho, pelo facto dos estagiarios estarem todos separados, .... Enfim... E eu a pensar quao sortuda eu era por ser apoiada pela AIESEC daqui, por me encontrar com os estagiarios, pelo menos uma vez por semana...

Entretanto, conheci uma rapariga portuguesa... Chama-se Ana e estudou psicologia em Coimbra. Ela ja tinha chegado a Jaipur dia 15 mas esta a trabalhar numa aldeia a 60 km de Jaipur. Ou seja, ninguem a ve. Mora e trabalhar no mesmo sitio. Ela esta a gostar porque vive o mais puro estilo indiano que possa haver mas ficou super contente por ver mais estagiarios e por encontrar algume que fale portugues :)... Estava super emocionada e toda a vez que falava comigo, parecia que ia chorar com tanta emocao.... É mesmo bom poder falar portugues aqui mas agora o meu raciocinio tem de sofrer alteracoes: tenho de traduzir de ingles para portugues, porque falo ingles em qualuer lado e ouco ingles.... É um exercicio giro...

Quando poder, tiro fotografias ao pessoal que trabalhar comigo... Vamos la ver se consigo :)

terça-feira, 28 de abril de 2009

Viagem a Jaisalmer e a Jodpur

No passado fim-de-semana fui até ao deserto, até Jaisalmer com a Tonia, Olga e o Floris. Partimos de Jaipur às 24h e chegámos a Jaisalmer às 14h, sendo que o comboio se atrasou 3 horas... Mal entrei no comboio, fiquei um pouco estarrecida com a maneira como os indianos organizam as carruagens, pelo menos na parte "sleeper", que foi a classe onde fomos. Há pelo menos 3 pisos de camas.... Nao consigo explicar muito bem.... Talvez nas fotos se consiga ver melhor...

Comecamos a sentir areia a entrar na carruagem, o que significava que estavamos mesmo no deserto. Mal chegamos á paragem, montes de pessoas nos queriam impingir transporte nao-ei-para-onde. Nós já tinhamos um jipe á nossa espera de um homem cujo contacto nos tinha sido dado pelo Rajeev, um rapaz indiano nosso amigo em Jaipur. Se nao fosse indiano, era frances... Tinha um bigode com as pontas arredondadas e se acontecia algo inesperado, ele dizia "oh lá lá"! Chegamos ao alojamento dele para tomar banho e mal acabamos, la fomos novamente de jipe mas agora para o deserto profundo... Deserto é como quem diz... Há areia e faz imenso calor mas há vegetacao, arvores, ovelhas, carneiros, veados e pessoas... Andamos de camelo e vimos o por-do-sol nas dunas... A noite foi passada num outro alojamento que tinham sobre as estrelas brilhantes. Foi uma noite mágica e maravilhosa!

No dia seguinte, era suposto termos acordado cedo para vermos o nascer do sol mas nao conseguimos acordar. Por volta das 8:30 continuamos com a nossa caminhada de camelo mas fazia calor como se fosse 13h... De tanto andar de camelo fiquei com o rabo dorido! Por volta da hora de almoco parámos na sombra de umas arvores e os homens que foram connosco cozinharam para nos chapati e vegetais... Foi mesmo giro! Consegui ainda falar com as ovelhas e com os camelos (pelo menos tentei imita-los e parece que eles me percebiam porque respondiam de volta :P)... Como fazia tanto calor, so partimos ás 15h da tarde... Calor entenda-se 42C... NO final da tarde ainda fomos tentar ver o forte mas o museu estava fechado... Demos umas voltas e ficamos a olhar para um concurso de papagaios-de-papel... Pelo menos agora percebo a logica do jogo! As 23h voltamos a estacao de comboios mas agora em direcao a Jodpur.

Chegamos a Jodpur às 5h e vagueamos a manha inteira para ver algum restaurante aberto. Mal tomamos o pequeno-almoco fomos caminhando em direccao ao forte. Fizemos uma visita com direito a guia auditivo. A visita foi muito gira e bastante interessante... Almocamos, visitamos o mercado (fiz a minha primeira compra na India: uma pulseira para o tornozelo e uma pulseiras) e voltamos de novo para a estacao, ás 20h, de regresso a Jaipur, onde chegamos às 2h... Fui trabalhar mas estava tao cansada que adormeci à medida que ia lendo os relatorios que me foram dados....

Fotos do fim-de-semana: aqui.

Comida e bebida parte II


Em resposta ao apelo do meu pai, coloco aqui uma foto de comida indiana e um video de como comer este tipo de comida na Índia.


Enjoy!


video

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Comida e bebida

Acho que ainda nao vos falei sobre o que se come por aqui.
A comida indiana é todo um mundo por descobrir. Há imensos sabores, diversos alimentos e condimentos, obviamente! Tanto podemos encontrar comida muita picante como normal... O melhor a fazer é sempre pedir sem picante, pois, caso contrario, o pior que pode acontecer é ficarem a queixar-se do picante a refeicao toda.

Ate agora, comi pouca carne, o que eu previa... Bife nem ve-lo na terra onde as vacas sao sagradas. No inicio dava tudo para comer um bom bife. Agora, ja estou habituada! :)

A maior parte das coisas come-se com päo (chapati ou roti). Ha tambem arroz, que da para misturar com alguns molhos e recheios. Ja aprendi a comer com as maos pois garfo e faca, so muito raramente! Ate é giro :D

A fruta é super barata: mangas, melancia, uvas, macas, papaia, etc... Os sumos sao muita bons e sao ainda melhores quando fresquinhos, para matar a sede que se sente por aqui... Ha tambem os lassis que sao um especie de iogurte liquido com sabor (nao consigo explicar muito bem)...

Vegetariana, talvez por alguns meses. Ja me tentaram converter mas nao sei.... :P

O que se tem passado ultimamente?

Estou a ver que anda muita gente desejosa de saber coisas minhas... Fico feliz por saber disso :)
Por aqui, vamos andando. Sem problemas estomacais, o que é optimo!
Novidades:
- Este fim-de-semana vou a Jaisalmer (deserto). Devem estar uns 44C (calor à fartazana) mas vou andar de camelo e ver o por-do-sol no deserto. Vai ser demais! (assim o espero!)
- Chegou um rapaz ingles a Jaipur. Esta a trabalhar comigo na mesma ONG. Chama-se Stefan e tem uma historia de vida um pouco confusa: a avo é indiana, portanto a mae tambem o é, o pai é alemao... Portanto, ele tem uns tracos indianos, o que é sempre bom para mim porque, como vou com ele para o trabalho e regresso do trabalho, ja nao tenho tantos olhares sobre mim. O mais engracado é que, quando os condutores de riquexo falam comigo em hindi (o que nao percebo!), olham para ele na tentativa de ele perceber, mas ele tambem nao sabe nada de hindi
- Chegou hoje tambem ua rapariga inglesa chamada Amy. Neste momento, estamos 8 pessoas a viver na mesma casa. Tudo indica que a partir de agora, é sempre a aumentar....
- Ja comeco a fazer amigos entre os condutores de riquexo, o que é muita bom, porque ja nao preciso de dizer para onde quero ir (pelo menos o sitio da minha casa e do trabalho)... Agora é ve-los "á bulha" para conseguir levar-nos!

domingo, 19 de abril de 2009

Como se passou o ultimo fim-de-semana?

Este fim-de-semana fiquei em Jaipur. Decidimos ficar por cá e explorar um pouco mais a cidade.
No sábado fui trabalhar (trabalho alternadamente aos sabados e como vou tirar o proximo para ir a Jaisalmer, ao deserto, decidi compensar a ONG). Estive a redigir um relatorio dos anos 2004-2005. Leio relatorios anteriores e compilo tudo num... A meio da tarde, um dos trabalhadores, Alchilesh, pediu-me para ensinar ingles ao outro, contabilista (nao sei o nome)... Bem tentei mas o tempo era muito curto e estavamos ambos a trabalhar. Ensinei-lhe algumas frases como "I love money", "I´m a very serious person" e entre outras. Eles ensinaram-me coisas como "Quero beber chá", "Quanto custa?" e "Posso ir embora?" em hindi. Agora, todos os dias acrescento mais umas duas expressoes a lista.

No sabado a noite fomos para um cafe assistir a um jogo que cricket. Os indianos sao doidos por este desporto. Tentei perceber as regras mas desisti. É muito parado para o meu gosto e tem muitos termos tecnicos que nao percebo... Dizem que é parecido com basebol mas tambem nao percebo nada de basebol :)

No domingo, queria ter ido a missa mas nao me consegui me levantar. A missa era as 8h da manha. Depois fomos para a piscina de um hotel, para refrescar do enorme calor que se sente por aqui. No final do dia, estivemos a celebrar a Pascoa de acordo com as regras ortodoxas: cozer ovos e pinta-los... Nunca tinha ouvido falar mas foi optimo esta partilha de culturas :)

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Morada na Índia

Para quem quiser me contactar, enviar cartas, postais, fotos e tudo que acharem pertinente para matar saudades de Portugal, dos amigos e da familia, a minha morada é a seguinte:

788, Ashok Chowk, Adarsh Nagar, Jaipur - 302004 (Rajasthan), India

Vou ficar à espera das vossas mensagens :)




quinta-feira, 16 de abril de 2009

Coisas estranhas nesta terra

Ha cada coisa:
  1. Para adquirir um cartao de telemovel indiano é preciso entregar uma cópia do passaporte e uma foto tipo passe, para alem de preencher um formulario que eles dao. Como nao dei a minha morada portuguesa correcta (so pus Lisboa, Portugal), eles bloqueram-me a recepcao e envio de chamadas e sms. Na passada terca-feira fui a loja onde comprei o cartao e eles disseram-me que ontem a noite ja deveria estar a funcionar. Tentei hoje o dia todo e nada! Vou ter de ir la outra vez e ameacar o homem! Ainda nao sei muito bem que argumentos utilizar mas basta levantar o dedo que eles piam baixinho :P
  2. No trabalho, em cada documento, a Mrs. Garg, a secretaria da ONG e a senhora que manda, faz as suas correcoes a lapis (ao contrario de Mocambique, em que reparei que, mesmo na escola primaria, as criancas so usam caneta e nao lapis... Sera um sinal de evolucao?). Depois de cada correcao, vamos para o computador corrigir tudo e imprimir novamente. Depois de impresso, ha que mostrar novamente a senhora... Com isto, matam-se milhares de arvores so para imprimir rascunhos ate a versao final!
  3. Parece que eles ainda nao conhecem o ar condicionado. Ontem esteve para ai uns 35 graus, o que foi horrivel e como a tendencia e para piorar, ja comecaram a trazer para o escritorio os "coolers", umas maquinas gigantes, com uma ventoinha movida a agua e que faz imenso barulho. Quando a Mrs. Garg precisa de atender o telemovel, tem alguem de ir desligar a tal maquina que esta no corredor porque nao cabe entre a porta do escritorio.
  4. Sinais de transito, nem ve-los! É ve-los a irem em contramao, ver dois carros a ultrapassar ao mesmo tempo indo no mesmo sentido, pessoas a cuspir das janelas e a atirar coisas (lixo, entenda-se)
  5. Todas as casas e escritorios tem ventoinhas... Sem elas, morreriamos de calor! Ja nao via uma ventoinha ha imensos anos!
  6. No trabalho, para passar documentos de um computador para outro usa-se a disquete, tao famosa "floppy"! Com todo este equipamento pre-historico, parece que regredi imensos anos e que ja vivi outros tantos. Afinal de contas, a disquete foi abolida ha meia duzia de anos... Reencontrei-a no outro lado do mundo! Agora digo: "Viva a pen"!
  7. Ha um zoo em Jaipur mas para que pagar um bilhete se se pode encontrar o zoo todos os dias na rua? Todos os dias se ve vacas, camelos, burros, cavalos, macacos, esquilos, caes e algumas vezes elefantes e bufalos! As vacas sao pacificas... Tenho mais medo dos macacos!
  8. Muitas mais coisas que vou contando por aqui.....

terça-feira, 14 de abril de 2009

Fotos da minha casa, da India e de alguns fins-de-semana

Finalmente as fotos tao aguardadas por voces!!!
Muitos de vos me tem pedido fotos, principalmente o meu pai :p
Vamos comecar pelas da casa. Em termos gerais, ha uns quantos quartos. Comigo moram uma rapariga suica, uma alema, uma ucraniana, dois rapazes indianos e chegou entretanto a minha companheira de quarto, uma rapariga da Dinamarca chamada Louise. Depois temos uma varanda, com uma mesa e algumas cadeiras para o pessoal estar... Temos tambem um cozinha e duas casas-de-banho, uma com uma sanita marroquina e outra europeia.

Este fim-de-semana fui a Rishikesh, uma cidade noutra provincia, um pouco a norte de Delhi. Fui com a Olga, a rapariga russa e com o Floris, um rapaz da Holanda. Demoramos umas 10 horas de autocarro, sempre aos solavancos e com uma calor descomunal (quem me dera estar agora em Portugal, onde esta fresquinho). Estivemos hospedados num alojamento gerido por uma familia, com muito boas condicoes e com uma vista soberba para o rio Ganges. Como devem saber, os hindus veneram o rio Ganges, entao ha imensas pessoas que se banham no rio e que fazem rituais ao longo as margens dele. Este local tambem e conhecido pelos ashrams, pelo ioga e pelas medicatoes. Ha inclusive um ashram onde esteveram os Beatles e diz-se que eles escreveram algumas musicas enquanto ca estiveram. Depois, aproveitamos tambem para fazer um pouco de rafting. Foi magnifico! Nunca tinha feito e faze-lo neste rio em particular, imaculado, porque ele nasce nos Himalaias, foi incrivel! Tinha uma cor fantastica (entre um verde cristalino e um azul clarinho) rodeado de montanhas... Foi optimo para descansar da confusao de Jaipur... Ainda vimos muitos estrangeiros, o que confortante :P.

Numa celebracao religiosa encontrei um amigo, o Ze, que foi comigo pelo PUMAP no verao passado. Pensei que ele estava no sul porque foi o que me disse, na ultima vez que falei com ele. Eis senao quando oico uma voz durante a celebracao e olho para ele! Foi tao giro! Ver uma cara conhecida naquela imensidao de pessoas... Foi uma grande coincidencia! Por volta desta altura, ele ja deve estar em Portugal. Foi mesmo engracado.

Fotos, todas elas, estao aqui.